Anuncie com a Agência Mai...

1/7
Please reload

Embraer se diz aberta a parcerias após fracasso com Boeing, e ações sobem

01.06.2020

 

A Embraer espera assinar novas parcerias estratégicas no futuro depois que a Boeing repentinamente cancelou em abril um acordo para assumir o controle da divisão de jatos comerciais da empresa.

O presidente-executivo da Embraer, Francisco Gomes Neto, disse que ainda é cedo para discutir essas oportunidades, pois a empresa está estudando um novo plano de cinco anos. Ele acrescentou que as parcerias estratégicas podem envolver produtos, engenharia e produção e países como China, Índia "e outros".

As ações da companhia subiam 1,4% às 13h20, enquanto o Ibovespa principal índice da bolsa de valores brasileira, subia 1,6%. Na sexta-feira, os papéis da fabricante de aeronaves chegaram a ter um pico de alta de mais de 18% durante a tarde, e fecharam em alta de 2,4%, após a notícia de que companhias estrangeiras teriam interesse em um acordo com a brasileira.

A agência de notícias Reuters informou na sexta-feira que China, Rússia e Índia estavam sondando a Embraer e estudando possíveis acordos, embora qualquer negociação seja preliminar.

Mais cedo, a Embraer informou, porém, que atualmente não está negociando com a estatal COMAC da China, a Irkut da Rússia ou a Índia sobre qualquer possível acordo para substituir a transação da Boeing.

A empresa reportou nesta segunda-feira prejuízo de R$ 433,6 milhões no primeiro trimestre, com queda de vendas em razão da pandemia do novo coronavírus, além de reflexos do fracasso do acordo com a Boeing.

A empresa disse que sua decisão de colocar funcionários em férias remuneradas em janeiro para finalizar os detalhes do acordo com a Boeing foi responsável por uma queda de 23% na receita. Em março, a Embraer novamente afastou os trabalhadores devido à pandemia de coronavírus.

Os executivos se recusaram a comentar um processo de arbitragem contra a Boeing devido ao cancelamento do negócio.

Mas a empresa disse que espera se recuperar de custos tributários da Boeing relacionados ao acordo que afetaram negativamente seus resultados trimestrais.

Em abril, a Boeing anunciou que estava desistindo do acordo para comprar o negócio de jatos regionais da Embraer. Os termos e condições, aprovados em 17 de dezembro de 2018, definiram a criação de uma joint venture (Boeing Brasil Commercial) contemplando ativos do segmento de Aviação Comercial da Embraer e serviços relacionados (segmento de Serviços & Suporte) com 80% de participação da Boeing e 20% da Embraer.

 

*Com Reuters

Compartilhar com Facebook
Compartilhar com Twitter
Please reload

Veja Mais
Siga "VITRINE MAIS"
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Google Places Social Icon

Receita de Panquecas Recheadas...

Dica Técnica de limpeza do tan...

Mau funcionamento e burocracia...

Blitz da campanha Natal Solidá...

1/3
Please reload

Anuncie com a Agência Mais - M...

1/7
Please reload

logo site.png
038 - 3676-7630
038 - 988089166

© 2016 Afonso Almeida Videocomunicação Ltda - CNPJ 02.524.026/0001-64 - por Kalléo Pinheiro - Agência Mais

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon