Produção de pintos de corte aumentou 1,4% no 1º trimestre de 2019

O levantamento mensal efetuado pela APINCO junto ao setor representado apontou que em março passado foram produzidos em todo o Brasil perto de 516 milhões de pintos de corte, menos de meio por cento a mais que no mesmo mês de 2018


Com esse volume, a produção do primeiro trimestre de 2019 ficou pouco acima de 1,578 bilhão de cabeças, aumentando 1,41% em relação ao mesmo trimestre do ano passado.


O aumento não se repete no acumulado dos últimos 12 meses, pois, entre abril de 2018 e março de 2019 o volume acumulado, embora próximo, ficou aquém dos 6,1 bilhões de cabeças, resultado que significa queda de 2% em relação aos 6,220 bilhões de cabeças produzidas em idêntico período anterior.


Abaixo, no gráfico à direita, os maiores volumes mensais registrados entre 2010 e 2019 (2019, até março). No gráfico, a produção mensal foi ajustada para mês de 30 dias, processo que aponta a produção real de cada mês. Assim, por exemplo, embora em fevereiro se registre, normalmente, o menor volume de cada exercício, no ajuste para 30 dias a produção efetiva pode corresponder ao recorde anual. Como ocorreu em 2016 e 2017 e se repete agora, no primeiro trimestre de 2019.


Notar que, em 50% dos 10 anos analisados, a maior produção anual foi registrada no mês de outubro. Mas isso se alterou no triênio passado (2016, 2017 e 2018), período em que o maior volume anual ocorreu no primeiro bimestre do ano.


Observação final: o recorde deste ano, registrado em fevereiro (perto de 506,8 milhões de cabeças em valor nominal; quase 543 milhões de cabeças no ajuste para 30 dias) corresponde, praticamente, ao mesmo volume de outubro de 2011 (544,7 milhões de pintos de corte). Além disso, é inferior aos recordes do triênio 2014/2016.