Problemas em carne rejeitada por EUA se devem à vacinação do rebanho, diz Maggi


Um áudio do ministro da Agricultura e Pecuária, Blairo Maggi, começou a circular por aplicativos de celular na noite desta quinta-feira (22/06) depois que os Estados Unidos anunciaram o bloqueio das compras de carnes in natura do Brasil.

Na mensagem, Maggi diz que o governo brasileiro havia sido comunicado há alguns dias sobre problemas de abscesso na carne embarcada para o mercado norte-americano. Ainda de acordo com o ministro, esses abscessos estariam relacionados à reação de alguns componentes presentes nas vacinas contra a febre aftosa. “O Brasil é o único país entre os fornecedores de carne dos EUA que possui status de área livre da doença, desde que com vacinação”, diz.

Ao ser notificado pelos Estados Unidos, o governo brasileiro decidiu suspender voluntariamente cinco plantas frigoríficas com inconformidades, conta Maggi. O Ministério da Agricultura pretende lançar uma Instrução Normativa (IN) para alterar a metodologia de inspeção de carnes por causa deste ocorrido.

“Nós concordamos com as reclamações americanas, vamos corrigir e vamos lutar por esse mercado, que é muito importante para o Brasil”, diz Maggi, que pretende visitar os Estados Unidos com técnicos do ministério para dar mais esclarecimentos sobre o assunto.

Veja áudio: https://soundcloud.com/globorural/ministro-da-agricultura-blairo-maggi-fala-sobre-embargo-dos-eua-a-carne-do-brasil